Home / Artigos / Como ser rico e feliz

Como ser rico e feliz

Como ser rico e feliz

Como ser rico e feliz?

A primeira coisa é não ser inútil.

Calma, não estou dizendo que você é inútil.

Estou dizendo para você não ser inútil.

E você vai ver que estou do seu lado.

Fica comigo que eu vou te explicar um monte de coisas e você vai compreender por que eu te disse isso.

(Se, em vez de ler o artigo, você preferir assistir ao vídeo, o acesso está no final do texto)

Mas vamos lá:

Você sabe como circula o dinheiro num país?

Vou falar sobre isso daqui a pouco. Mas antes deixa eu esclarecer algumas coisas.

Quando eu falo em “ser rico” eu não estou falando que você precisa ser “podre de rico”, como se diz.

Veja bem: ser rico é ter dinheiro suficiente para viver bem. E isso todo mundo tem direito. Todo mundo.

Ter uma boa casa, um bom carro, boa alimentação, garantir escola de qualidade pros seus filhos, poder viajar pra onde quiser, poder cuidar da saúde, ter direito ao lazer e a uma atividade que te faça feliz.

Parece pouco ou muito pra você? Pois olhe, é o mínimo que todo ser humano deveria ter.

Agora eu vou te explicar por que nem todo mundo tem.

O que todo mundo sabe?

Que dinheiro não cai do céu, isso todo mundo já sabe.

Só que o que muita gente não se lembra é que, quando o dinheiro entra no bolso de alguém, ele sai de algum lugar, o que significa dizer que ele sai do bolso de alguém.

Eu vou explicar aqui algumas coisas que pra algumas pessoas vão ser muito óbvias, mas mesmo quem sabe às vezes se esquece, e tem gente que não sabe ou não se dá conta.

O que acontece com o dinheiro é ter uma determinada riqueza num país e essa riqueza ser distribuída.

Não estou falando aqui de comunismo, socialismo, nem de bolivarismo, que é a palavra que tem também levado pau de todo lado nesse momento de crise.

Então vamos explicar melhor: o governo poderia produzir dinheiro pra todo mundo. Certo? Errado. Ele poderia mandar a Casa da Moeda ir imprimindo dinheiro e aí ia sobrar dinheiro pra todo mundo. Certo? Errado.

Porque se ele fizer isso, em primeiro lugar vai estourar uma inflação insuportável, em segundo lugar isso ia significar que o dinheiro iria perdendo cada vez mais o valor, e em terceiro lugar isso significa que principalmente o trabalhador, que não tem como se proteger, ia se ferrar cada vez mais.

Então a equação é a seguinte: o que entra de dinheiro de um lado, sai do outro. O que entra num bolso, sai de outro bolso. Isso em qualquer país do mundo, e no mundo todo. Seja que país for.

Então vamos substituir a palavra distribuição por disputa.

Isso mesmo, em vez de distribuição da riqueza, disputa pela riqueza.

Eu fiz uns gráficos pra você entender isso melhor (gráficos no vídeo).

Mas então, chegamos ao que a gente vai chamar de riqueza nacional.

E de disputa pela riqueza nacional.

Então, se nós tivéssemos uma economia totalmente igualitária, na qual todo mundo tivesse a mesma renda, teríamos um gráfico igual a esse.

Todo mundo teria o mesmo dinheiro no bolso e acesso aos mesmos bens de consumo e a todos os benefícios.

Só que isso não existe em país nenhum do mundo. Nenhum país tem um quadro desses.

E aí começa a questão da disputa pela riqueza nacional.

E não tem jeito. Na medida em que entra dinheiro pra um dos lados, sai do outro lado.

E quanto mais chega de um lado, mais sai do outro.

Mas aí o que acontece? Quanto mais um lado vai ganhando nessa disputa pela riqueza nacional, mais o outro lado vai perdendo. Lembra bem: se de um lado entra dinheiro, do outro sai dinheiro. E é por isso que de um lado sobra moradia, transporte, alimentação, escola, saúde, lazer, Previdência e tudo o mais que a gente não colocou aqui (vestimenta, brinquedo pros filhos etc etc etc. Tudo que você possa imaginar.)

E mais uma coisa muitíssimo importante: segurança.

Quanto mais essa transferência (para os ricos) se acentua, mais esse quadro vai se agravando. E o que acontece?

Quanto mais aquele lado mais fraco vai perdendo, menos passa a ter moradia, transporte, alimentação, escola, saúde, lazer, Previdência e tudo o mais.

Veja bem: não estamos pregando aqui luta de classes nem revolução sangrenta, com mortos e feridos.

Estamos apenas explicando, em linguagem bem simplificada, a aritmética mais elementar possível da disputa pela riqueza nacional.

E isso não tem jeito: existe em qualquer país, e em todos os países do mundo e no mundo todo.  Só que em alguns países isso se torna tão grave que tem hora que os pobres não têm nem mesmo o mínimo pra comer no dia a dia.

Tem duas formas principais de pelo menos equilibrar isso. Uma fica com os governos, que podem promover uma melhor distribuição de renda, por meio de uma política fiscal e tributária que deixe de tirar dos pobres para dar para os ricos. Mas existem inúmeros outros mecanismos para distribuir renda.

A outra forma é com você, e pra isso é preciso você entrar com mais determinação nessa disputa pela renda nacional.

É por isso que você tem que deixar de lado essa balela de que dinheiro é sujo, de que pra ser rico tem que ser desonesto.

Porque nem todo rico é desonesto.

Mas você acha que os caras ricos, principalmente os extremamente ricos, os ricaços, estão preocupados com você? Ou com o fato de você não ter dinheiro?

Não estão nem um pouquinho. O que eles querem é ficar cada vez mais ricos.

E é por isso que você tem que entrar nessa briga pela disputa da renda nacional.

E quando eu disse que você não pode ser inútil, o que eu quis dizer é que você tem que ser útil a você mesmo, entrando de sola nessa briga pela fatia que lhe cabe da riqueza nacional. E da forma mais honesta possível.

Não sabe como entrar nessa briga? Pois é isso o que eu vou te dizer.

Mas isso já é outra história, que a gente vai abordar no próximo vídeo. Não perca.

 

About Gerson Menezes

Gerson Menezes é jornalista, escritor e empresário. Possui uma extensa rede de sites e três canais no YouTube. Em sua carreira profissional ministrou aulas como professor universitário durante 10 anos e atualmente se dedica à atividade de empreendedor digital. Em sua atuação em jornais, revistas, assessorias de comunicação, emissoras de rádio, livros publicados, artigos na internet, já produziu mais de 15 mil textos. Parte dessa produção está em seu site pessoal, no endereço http://www.gersonmenezes.com.br (Acesse em PC/notebook. Não acessível em dispositivos móveis por conter abertura em flash). Essa produção permanece em ritmo acelerado, pois há novos textos de sua Autoria sendo continuamente publicados em blogs de artigos e em sua rede de sites, direcionados a vários nichos de mercado. É também proprietário da empresa Texto e Vídeo Produções. Seu mais novo endereço na internet engloba toda a sua rede e abrange os segmentos de Educação, Motivação, Dinheiro, Saúde, Relacionamento, Mulher, Audiovisual e Turismo. Visite: https://www.pegseuebook.com.br

2 comments

  1. Oi, Gerson Menezes, concordo plenamente, mas as pessoas não param para refletir muito sobre isso, todo mundo quer ser rico, mas não se liga. A verdade é que os ricos sempre ficam mais ricos e os pobres não abrem a mente e não percebem que têm que mudar o pensamento para tentar subir na vida.

    • Gerson Menezes

      São muitas as implicações, Bruna Medeiros. Como diz o autor do best-seller Pai Rico, Pai Pobre, a mentalidade influencia na criação da riqueza. Se a pessoa pensa sempre como pobre vai ser difícil sair da pobreza. Mas há também um obstáculo que pesa muito: a falta de oportunidades para os pobres, que para saírem de sua condição têm que fazer às vezes sacrifícios descomunais. Um mundo melhor seria aquele em que todos têm oportunidades iguais.
      Obrigado pela participação. Continue com a gente.

Participe com seu comentário

Importante
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.

%d blogueiros gostam disto: