Home / Artigos / A fórmula da riqueza está aqui. Conheça

A fórmula da riqueza está aqui. Conheça

Vamos começar com um teste.

Responda:

O que você acha que é um milionário?

O sujeito que gasta uma fortuna com ternos de grife, viagens internacionais, férias em ilhas paradisíacas, carrões do ano e  mora numa casa com 25 quartos?

Ou o sujeito com uma vida simples: um carro barato, comprado há três ou quatro anos, moradia própria quitada, roupas comuns, viagens de férias na classe econômica e que está pronto para deixar de trabalhar aos 40 anos porque já pode sustentar a família por mais de 40 anos?

Isso vai ser respondido por você mesmo. E daqui a pouco eu vou lhe mostrar um cálculo para que você saiba em qual padrão de vida você está. Certo?

Riqueza e ostentação

A visão de milionário que nós temos se encaixa perfeitamente na primeira descrição. E pode até ser que seja verdade que eles sejam assim. Mas dois norte-americanos estão desafiando essa visão num livro que escreveram após pesquisar durante 20 anos a vida dos milionários nos EUA. Eles garantem que, muito mais do que se imagina, cada vez é maior o número de milionários que não ostentam riqueza. E que vivem muito bem.

Na verdade, tudo tem a ver com a noção de riqueza que cada um tem. Existem os ricos que ganham uma boa fortuna todo ano mas que gastam tudo com uma vida glamourosa. Estes não podem parar de trabalhar e muitas vezes têm até muitas dívidas.

E existem também os ricos que levam uma vida comum, mas bem confortável, e que podem parar de trabalhar a qualquer momento e ainda assim manter o padrão de vida que já conquistaram.

Ganhar para viver

A conclusão é simples: se você ganha bem todo ano e gasta tudo, você não está acumulando riqueza. Os realmente ricos são os que sabem acumular dinheiro e multiplicá-lo por meio de investimentos. É um princípio ao qual já nos referimos neste canal e nos nossos sites Sucesso e Fortuna e Pegseuebook, este último o nosso mais recente endereço na internet, que engloba toda a nossa rede e se destina a atender a todos os públicos e a todas as necessidades.

E qual é esse princípio? É o de que a verdadeira riqueza não é um monte de dinheiro que pode evaporar a qualquer momento, mas sim a riqueza sustentável.

Mais do que isso. Rico não seria o executivo de uma grande empresa que trabalha e recebe uma excelente quantia, e depois gasta tudo. Mas sim aquele que passa a produzir dinheiro não pelo trabalho, mas sim fazendo dinheiro produzir dinheiro, em vez de trabalho produzir dinheiro.

Ou seja: se ele parar de trabalhar vai continuar ganhando dinheiro, pois quem produz o dinheiro de que ele precisa não é mais o trabalho, e sim o dinheiro. Que, portanto, vai continuar sendo produzido mesmo que ele não trabalhe mais.

Estilo de vida

É lógico que isso também é uma questão de concepção e de estilo de vida. Não se trata de dizer que o sujeito que parou de trabalhar é um preguiçoso, como muita gente costuma dizer. Até porque ele pode parar de trabalhar mas isso não significa que vai ficar dormindo o dia todo. Pode parar de trabalhar e continuar produzindo. Mas vai produzir em ritmo próprio, sem depender de um patrão ou de uma empresa que não é dele e fazendo aquilo que realmente gosta de fazer.

Pode, por exemplo, estudar e pesquisar para escrever bons livros, o que seria um trabalho mais digno e mais útil à sociedade do que, por exemplo, ser um executivo de uma  milionária indústria de alimentos que produz só porcaria de fácil consumo e que obtém lucros monstruosos, mas que não está nem aí para a saúde dos consumidores.

Como se vê, é tudo uma questão de concepção e de estilo de vida.

Segundo os autores desse estudo ao qual estamos nos referindo, a verdadeira riqueza é definida pelo patrimônio líquido que essa pessoa acumulou, de acordo com a renda que ela possui e a idade.

A Fórmula da Riqueza

E eis aí a fórmula que eles inventaram para saber se você está no caminho certo, segundo essa concepção de vida. Mas tem uma informação que é muito importante e que eu vou te revelar depois de eu te dizer qual é essa fórmula.

Multiplique a sua idade pela sua renda anual bruta e divida por dez. O resultado vai ser exatamente quanto deveria ser o seu patrimônio. Se o resultado for igual ou maior do que o patrimônio que você tem, você está no caminho certo. Se for inferior, você vai ter que mudar sua vida se quiser ser uma pessoa bem sucedida, segundo essa concepção. E, é lógico, quanto maior for a diferença, para mais -evidentemente – entre o resultado e o seu patrimônio, isso reforça o seu conceito como um potencial ou um prodigioso produtor de riqueza. Ou seja: de patrimônio líquido.

E atenção para a informação importante. Aliás, duas: nesse cálculo não entram rendas de herança. E a segunda é que patrimônio líquido é o total que você acumulou em propriedades, no dinheiro que você conseguiu acumular e nos seus investimentos, menos as dívidas que você possui. É lógico: se você tem um patrimônio de 300 mil mas está com dívidas que, somadas, são de 280 mil reais, obviamente que seu patrimônio líquido não é de 300 mil.

F15D

Vamos dar um exemplo para facilitar o entendimento desse cálculo. Vamos supor que você tem 45 anos de idade e que seu rendimento bruto anual é de 72 mil reais. 45 vezes 72 mil resulta em três milhões e 240 mil. Dividido por dez dá 324 mil, que tem que ser o seu atual patrimônio líquido. Ou mais, obviamente. E se for o dobro disso? Se você tem propriedades, dinheiro e investimentos que sejam iguais ou superiores a 648 mil, você está no caminho certo. E pode ser considerado um prodígio em matéria de construção de patrimônio.

Sem ilusões

Mas cuidado para não tentar se iludir pra passar a se considerar um prodígio ou mesmo um milionário na base da enganação. Para calcular seu patrimônio líquido você deve fazer o seguinte: somar o valor do imóvel ou imóveis que você possui, dos carros que você tem e de quanto os seus investimentos lhe rendem (subtraindo os seus gastos para se manter e para manter a família), incluindo planos previdenciários, e também os bens pessoais, o que inclui eletrodomésticos.

No entanto, tem que subtrair suas dívidas, ou seja, o que você deve no cheque especial e nos cartões de crédito, por exemplo. E se você ainda paga prestações pelos imóveis, tem que subtrair também o valor desses financiamentos imobiliários.

Em resumo: não é fácil ser um prodígio nem um milionário. Mas, caso você se esforce, pode chegar lá.

About Gerson Menezes

Gerson Menezes é jornalista, escritor e empresário. Possui uma extensa rede de sites e três canais no YouTube. Em sua carreira profissional ministrou aulas como professor universitário durante 10 anos e atualmente se dedica à atividade de empreendedor digital. Em sua atuação em jornais, revistas, assessorias de comunicação, emissoras de rádio, livros publicados, artigos na internet, já produziu mais de 15 mil textos. Parte dessa produção está em seu site pessoal, no endereço http://www.gersonmenezes.com.br (Acesse em PC/notebook. Não acessível em dispositivos móveis por conter abertura em flash). Essa produção permanece em ritmo acelerado, pois há novos textos de sua Autoria sendo continuamente publicados em blogs de artigos e em sua rede de sites, direcionados a vários nichos de mercado. É também proprietário da empresa Texto e Vídeo Produções. Seu mais novo endereço na internet engloba toda a sua rede e abrange os segmentos de Educação, Motivação, Dinheiro, Saúde, Relacionamento, Mulher, Audiovisual e Turismo. Visite: https://www.pegseuebook.com.br

Participe com seu comentário

Importante
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.