define('WP_CACHE', true); O Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você -
Home / Artigos / O Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você
vão explodir

O Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você

O Brasil e o mundo vão explodir e querem calar vocêQue o Brasil e o mundo todo estão uma bagunça, disso não se pode duvidar. A questão é saber se todo mundo está percebendo isto. E é lógico que nem todo mundo percebe. E há também os que fingem não perceber. E você precisa ficar atento, porque o Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você.

Vamos começar pelo mundo. A tragédia dos refugiados é uma prova de que a Europa começa a viver uma crise de esgotamento que se tornou indisfarçável. O que fazer com essa multidão incalculável de pessoas que perambulam pelo mundo sem ter o que comer, o que vestir, o que beber e onde morar? Recebê-los? Matar todos eles? Partir para um novo genocídio?

Paralelamente a isso, países ricos começam a se ver diante da perspectiva de crises econômicas que ameaçam um estado de bem-estar social que eles consideravam irreversível. Tudo parece um claro sintoma de receitas erradas que, mais cedo ou mais tarde, acabam gerando consequências extremamente danosas, por mais que parecessem acertadas. Corremos sérios riscos porque o Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você.

Nova guerra fria?

A China tomou o lugar da antiga União Soviética como adversária dos Estados Unidos no protagonismo da nova guerra fria. Ambos dividem grandes blocos de adversários e de aliados. E existe um terceiro bloco que considera que nenhum dos dois imperialistas presta. Eu digo com sinceridade que concordo com esse terceiro bloco e daqui a pouco vocês vão entender por quê.rivalidade

Muitos vão dizer que a culpa do que acontece no mundo é da esquerda ou do comunismo. E do lado oposto vão dizer que a direita é culpada e que o capitalismo gera crises, destruição, guerra e mortes.

Desta vez eu pertenço a um reduzido grupo que considera que o problema está exatamente aí: na ideologização, que parece ter se tornado um vício incurável. E que, na minha modesta avaliação, é exatamente a causa de tudo o que está acontecendo.

Extremismos se igualam

rivalidadesVeja o que está ocorrendo com esse novo governo eleito. Ele fez o tempo todo campanha contra o que seria a ideologia de esquerda do PT e agora deixa claro que essa ideologização vai continuar, só que no sentido oposto.

Eu repetirei, sempre, e incansavelmente: os extremismos são iguais e produzem uma coisa chamada burrice. Os cientistas estão desenvolvendo aquilo que chamam de inteligência artificial, mas algo que sempre se alastra com mais velocidade é a burrice natural.

E, no meio disso tudo, querem que você caia nessa, que se transforme num burro também, e começam a disputar que você pertença a algum dos dois grupos. Mas não caia nessa.

Extinção da internet

Quem viu nossa postagem sobre a nova legislação europeia, uma legislação que, na verdade, pretende acabar com a internet, certamente sabe que todo youtuber que tem cérebro é contra essa lei. Não que esteja ficando rico postando vídeo, porque isso não é verdade. É uma minoria, um número insignificante de youtubers que realmente conseguem enriquecer de internet e de YouTube.

Mas existem também os que usam a internet para debater, para estudar e para pesquisar, e que fazem vídeos com essa finalidade. Esses, muito dificilmente enriquecem.

Mas, obviamente, todos esses grupos têm que ser contra a extinção da internet e das plataformas que fornecem o ambiente para postagem de vídeos, como é o caso do YouTube. Mas o Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você.

Prova de burrice

burroE a prova de que a ideologização emburrece as pessoas está no fato de que alguns desses youtubers que se definem de direita começam a dizer que a culpa é da esquerda, atacando mesmo quem já se mostrou também contrário a essa legislação europeia. Ou seja: a ideologização provoca burrice a ponto de a pessoa discordar até de quem concorda com ela. Em resumo: O Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você com divisionismos idiotas.

Essa mesma ideologização foi a marca da disputa presidencial que resultou na vitória de um candidato que nada tem de estadista e cuja equipe já começa a se engalfinhar na briga pelo poder. E quando surge alguma denuncia de corrupção os envolvidos usam como truque a velha ladainha de que é culpa da esquerda, do PT e dos comunistas. Isso tudo, embora essas denuncias estejam sendo apuradas no mesmo âmbito em que foram apuradas as denúncias contra o PT, cuja maior liderança está na cadeia.

Irresponsabilidade com a vida

O presidente eleito mostra-se vacilante e já teve que refazer escolhas, tentar amenizar declarações e apaziguar ânimos exaltados. E até o seu vice, general Mourão, já andou deixando claro que “não é bem assim”, referindo-se a algumas coisas que o presidente eleito andou dizendo sobre temas como Petrobrás, comércio com a China e a transferência da embaixada brasileira para Jerusalém.pulsação

A pior face da ideologização está em impor parâmetros predominantemente ideológicos em questões da maior seriedade. É o caso do atendimento médico da população que reside em lugares remotos que têm sido constantemente rejeitados como local de atuação por expressiva parcela dos filhinhos de papai oriundos das faculdades de medicina.

Ora, se os médicos cubanos não serviam, embora eles atuassem em localidades onde os médicos brasileiros jamais puseram os pés, então que se respeite a vida das pessoas e que se resolva o problema sem ideologismos irresponsáveis.

Contra a cultura e os índios

indios culturaAlém de estar a bilhões de quilômetros do perfil de um verdadeiro estadista, o presidente eleito mostra-se um autêntico ignorante em relação à questão indígena, comparando essas populações a algo como animais nos zoológicos que precisariam, na visão dele, serem integrados à sociedade. Aliás, nada espantoso para alguém que demonstra tanto desprezo pela cultura de um modo geral, algo (Cultura) que efetivamente ele não tem.

Os poucos índios que ainda sobrevivem, depois de inúmeros massacres, querem apenas preservar sua cultura e seu habitat, um direito legítimo deles. Se você não é nem um pouquinho tendencioso nessa questão, me responda honestamente: você, que vive na cidade, com todos os prós e contras de viver na cidade, mas que gosta de viver em sociedade, aceitaria viver num habitat diferente do seu? Aceitaria ser transferido para uma aldeia indígena e passar lá o resto da vida? E por que você poderia então querer isso para os índios, em sentido oposto?

Campanha ignorante

Obviamente, por trás dessa campanha ignorante contra os índios, está a ambição de poderosos grileiros pelas terras indígenas de grande extensão, mas certamente ainda mais reduzidas do que os latifúndios improdutivos que se encontram secularmente nas mãos de privilegiados.ignorante

Se a intenção fosse a de realmente adaptar o índio à sociedade dita civilizada, que exterminou cruelmente índios em várias partes do mundo, a tarefa seria a de fazer uma profunda reformulação na Funai para detectar tudo o que pudesse ser feito a fim de cumprir essa missão, em vez de jogar o órgão a escanteio como se fosse um inútil incurável.

Eu prefiro não mencionar nomes dessa equipe de governo desconjuntada, especialmente quando existe quem dê menos importância à educação e acredite que é a religião que vai salvar o país.

Ideologia retrógrada

retrógradoE foi exatamente esse ridículo duelo que fez com que uma das poucas chances de o novo governo atacar com seriedade um dos problemas mais sérios do país (a educação) fosse desperdiçada quando o presidente eleito, justamente em decorrência da pressão da bancada evangélica mais retrógrada que se possa imaginar, acabou desistindo do nome do qualificado professor Mozart Neves, substituindo-o por um nome que vomita ideologia retrógrada comparável à da bancada que defendeu a substituição.

Nada surpreendente, também, para um governo que ostenta uma ministra que se opõe ao aborto mas, ao mesmo tempo, combate a educação sexual nas escolas. Ora, em verdade, até a terminologia é equivocada na discussão desse tema. Os antiabortistas confundem ser contra o aborto com ser contra a discriminalização do aborto, Ser contra o aborto é uma posição que possivelmente é sustentada por um número imenso de pessoas. Mas a questão reside em oferecer alternativas que precisamente viabilizem que o aborto se torne desnecessário. E isso passa pela educação sexual e pela conscientização dos casais quanto a métodos contraceptivos, condizentes portanto com a chamada maternidade responsável.

Abortistas açougueiros

Manter o aborto como crime faz se manter no país um terrível cenário representado pelo grande número de grávidas pobres que acabam recorrendo a verdadeiros açougueiros em procedimentos clandestinos, enquanto as classes altas recorrem a profissionais altamente qualificados que evidentemente mantenham absoluto sigilo a peso de ouro.abortistas

E qual a alternativa que se oferece para combater esse triste cenário? Nenhuma. Ou algo que vai exatamente em direção contrária à temática da maternidade responsável, quando setores religiosos e também altamente retrógrados se opõem, por exemplo, terminantemente, à distribuição gratuita de preservativos.

Festival de besteiras

Olhe, há muito tempo não se fala no falecido escritor conhecido como Stanislaw Ponte Preta. E provavelmente as novas gerações nunca ouviram falar nele. Mas nunca se viu solo tão fértil para a produção do cenário que ele batizou de Febeapá – Festival de Besteiras que Assola o País.

boboVou parando por aqui para não deixar esta postagem muito longa. Existem ainda inúmeras citações que eu poderia fazer para ilustrar o festival de besteiras da dita nova equipe que se diz diferente de tudo. Evito prosseguir também e aviso: não estou torcendo contra.

Todo brasileiro deve torcer para que o governo eleito, independentemente de sua preferência,  alcance êxito, torne o país melhor, bem como a vida dos seus cidadãos. Mas a diretriz marcadamente ideológica que se anunciou descartar, mas que se reafirma e se fortalece a cada instante,  aliada ao besteirol reinante que rivaliza até com os piores momentos da sempre ironizada Dilma Rousseff, diminui e, às vezes, até aniquila qualquer resquício de otimismo patriótico.

O Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você

E fique atento(a), porque, apesar de tudo, apesar de todas as falhas de uma imprensa em grande parte pouco afeita a um modelo desejável de jornalismo investigativo, você ao menos pode ouvir vozes diversificadas que esquentam o debate na internet.alerta

Mas até isso querem lhe roubar. Começou na comunidade europeia, como já alertamos. Mais uma vez lançamos um apelo pela mobilização de modo a impedir que legislações destruidoras da liberdade de informação sejam aprovadas e adotadas no Brasil. Se você é um verdadeiro patriota, integre-se a essa luta. E espalhe o alerta: o Brasil e o mundo vão explodir e querem calar você.

 

About Gerson Menezes

Gerson Menezes é jornalista, escritor e empresário. Possui uma extensa rede de sites e três canais no YouTube. Em sua carreira profissional ministrou aulas como professor universitário durante 10 anos e atualmente se dedica à atividade de empreendedor digital. Em sua atuação em jornais, revistas, assessorias de comunicação, emissoras de rádio, livros publicados, artigos na internet, já produziu mais de 15 mil textos. Parte dessa produção está em seu site pessoal, no endereço http://www.gersonmenezes.com.br (Acesse em PC/notebook. Não acessível em dispositivos móveis por conter abertura em flash). Essa produção permanece em ritmo acelerado, pois há novos textos de sua Autoria sendo continuamente publicados em blogs de artigos e em sua rede de sites, direcionados a vários nichos de mercado. É também proprietário da empresa Texto e Vídeo Produções. Seu mais novo endereço na internet engloba toda a sua rede e abrange os segmentos de Educação, Motivação, Dinheiro, Saúde, Relacionamento, Mulher, Audiovisual e Turismo. Visite: https://www.pegseuebook.com.br

Participe com seu comentário

Importante
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.