Home / Artigos / Pirâmide só se for no Egito

Pirâmide só se for no Egito

Pirâmide só se for no Egito

A primeira coisa a fazer: esqueça de uma vez por todas essa ideia de que MMN (Marketing Multinível) é pirâmide. Isso é coisa de gente de má fé, de ignorante e dos invejosos que acreditam que vão ganhar dinheiro dormindo o dia todo e não se conformam com o sucesso dos outros.

E tem gente que acha também que é pirâmide porque há pessoas no topo e na base. Mas se depender disso, todas as empresas são pirâmides. Ou na empresa que você trabalha (ou trabalhou) não existem chefes, diretores ou outros cargos superiores aos que estão “na base” (simples funcionários e inclusive trabalhadores braçais)?

Esquema de pirâmide é ilegal. MMN é perfeitamente legal. Se ainda assim tem dúvidas, acesse o site da ABEVD – Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas – no endereço www.abevd.org.br, onde inclusive há um link onde você encontra os nomes de todas as empresas associadas que atuam regularmente, de forma inteiramente legal, no Brasil, algumas evidentemente com sede no exterior.

O próprio Ministério da Justiça já andou divulgando uma cartilha mostrando as diferenças entre pirâmide e MMN e você encontra vasto material sobre essas diferenças na internet, não sendo mais necessário perder tempo com essa bobagem de confundir as duas coisas. Essa confusão começou a ser deliberadamente espalhada por gente de má fé depois que uma determinada empresa enganou muita gente, o que é mais uma prova de que a diferença é real, pois essa empresa foi proibida de atuar.

Como toda pirâmide, essa tal empresa não vendia produtos ou serviços, mas apenas remunerava os antigos associados com as taxas que os novos pagavam. As empresas de MMN, ao contrário, dispõem de produtos, algumas delas por sinal com uma vasta variedade de itens, e evidentemente você pode fazer uma rede de revendedores, como toda empresa de vendas pode ter, e passa a ganhar também rendimentos dependendo do desempenho de sua rede.

E é aí que está a grande questão: tem gente que é preguiçoso e acha que vai ganhar dinheiro sem fazer nada. Aí fracassa e começa a espalhar um monte de bobagens e até a fazer postagens, estas sim criminosas, denegrindo a imagem de empresas cuja atuação é perfeitamente legal.

Quer um exemplo: uma mulher certa vez publicou nas redes sociais várias fotos acusando uma empresa de MMN de ter lhe vendido um creme que teria danificado seriamente a sua pele das pernas. Só que exatamente as mesmas fotos foram publicadas acusando várias empresas ao  mesmo tempo, como se várias empresas de MMN vendessem o mesmo produto, o que evidentemente não acontece. Ou seja: a fraudulenta, a criminosa, era a denunciante, e não a denunciada.

E essa evidentemente não foi a única falsa acusação. São inúmeras, de gente preguiçosa que não tem sucesso e não quer ver ninguém ter.

Outra coisa que muitas pessoas argumentam logo de início é que “não gostam” ou “não sabem” vender. E é aí que vem outro ponto positivo, ao contrário do que as pessoas imaginam. Porque no MMN, se você fizer uma boa rede, essa renda vai resultar também da produtividade de sua equipe. Há até quem nem sequer se dedique a vender como atividade principal, mas sim à expansão dos negócios construindo uma equipe valiosa, dedicada e produtiva.

Finalmente, uma observação importante: é evidente que num mercado competitivo como o MMN, a empresa tem que dispor de um elenco de produtos de qualidade, caso contrário não conseguirá sobreviver. Por isso mesmo muitos consultores usam os produtos continuamente para seu próprio consumo e substituem com vantagem itens que eles antes compravam nos supermercados por preços mais elevados e de qualidade inferior. Ou seja: transformam o caro e de baixa qualidade em barato e de boa qualidade.

Então, se você está em busca de uma pirâmide, vá para o Egito. Lá existem muitas. Aqui no Brasil e em vários países o que dá certo mesmo é Marketing Multinível (MMN). Quem faz pirâmide pode é parar na cadeia.

Chatos

Há algo a mais a dizer em relação ao mercado multinível, no entanto, e essa é a parte desagradável: devido à concorrência muito acirrada, o clima de disputa às vezes se radicaliza, o que leva algumas pessoas a se tornarem extremamente insistentes nas abordagens. São os chatos do MMN, aqueles que sabem que, especialmente na fase inicial da atividade, é necessário adotar extrema dedicação, e às vezes perdem a noção de limites na abordagem.

Certamente o MMN é legítimo, pode trazer muitas vantagens financeiras, prêmios, viagens, mas você deve ter isso em mente se quiser se dar bem. Dedique-se ao máximo, mas procure não se tornar um chato…

 

 

About Gerson Menezes

Gerson Menezes é jornalista, escritor e empresário. Possui uma extensa rede de sites e três canais no YouTube. Em sua carreira profissional ministrou aulas como professor universitário durante 10 anos e atualmente se dedica à atividade de empreendedor digital. Em sua atuação em jornais, revistas, assessorias de comunicação, emissoras de rádio, livros publicados, artigos na internet, já produziu mais de 15 mil textos. Parte dessa produção está em seu site pessoal, no endereço http://www.gersonmenezes.com.br (Acesse em PC/notebook. Não acessível em dispositivos móveis por conter abertura em flash). Essa produção permanece em ritmo acelerado, pois há novos textos de sua Autoria sendo continuamente publicados em blogs de artigos e em sua rede de sites, direcionados a vários nichos de mercado. É também proprietário da empresa Texto e Vídeo Produções. Seu mais novo endereço na internet engloba toda a sua rede e abrange os segmentos de Educação, Motivação, Dinheiro, Saúde, Relacionamento, Mulher, Audiovisual e Turismo. Visite: https://www.pegseuebook.com.br

Participe com seu comentário

Importante
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.