Home / Artigos / Você vai ficar desempregado se não acordar

Você vai ficar desempregado se não acordar

É isso mesmo. Um número imenso de pessoas vai virar vítima do desemprego ou ter que deixar de exercer sua atividade muito em breve ou dentro de alguns anos.

Como escapar desse cenário assustador?

Nós vamos lhe mostrar que isso é possível.

Acorde para uma realidade: daqui a pouco tempo, dependendo da sua atual profissão, vai ser difícil trabalhar.

Isso mesmo. O mercado de trabalho está mudando de forma radical, e você tem que ficar sempre atento para não ser pego de surpresa.

Atividades que vão desaparecer

Só para você ter uma ideia: recentemente o portal do msn/dinheiro apresentou uma lista de 19 trabalhos que serão substituídos em razão do permanente avanço tecnológico. Então, se você exerce uma das atividades a seguir, você corre o risco real de ficar sem trabalho. E essa lista ainda é maior do que se pensa.

A lista apresentada pelo portal é a seguinte: operador de telemarketing, preparadores de impostos (que são aquelas pessoas contratadas para preparar a declaração do imposto de renda), profissões legais (como as de bacharéis de Direito, assistentes médicos e assistentes de vendas) , caixa (o que aliás já ocorre em países muito desenvolvidos, pois os produtos já vão sendo registrados ao serem colocados nos carrinhos, e passarão a ser digitalizados automaticamente, faturados e cobrados nos cartões, os famosos dinheiros de plástico, que hoje quase todo mundo já utiliza); cozinheiro de fast food, caminhoneiro, operário da construção civil, soldado, taxista, instrutor de autoescola, recepcionista, empregados domésticos, projecionista de filmes, empacotadores, soldadores (que são aqueles que trabalham com solda), entregadores, radiologistas, agentes de seguros e técnicos farmacêuticos.

Maior eficiência com menos custos

Isso mesmo. São atividades que passarão a ser facilmente executadas por robôs, drones, veículos autodirigíveis, com o aperfeiçoamento constante da automação e da chamada inteligência artificial. E todos esses trabalhos sendo feitos com maior rapidez, a um custo muito menor, de forma mais perfeita e sem que o empregador precise se preocupar com pagamento de salários, férias, horários de trabalho, folgas nos feriados e finais de semana, indenizações trabalhistas e por aí vai. E a lista, como já dissemos, ainda é maior, porque em países desenvolvidos os operadores de colheitadeiras na agricultura, para citar só mais um exemplo, já estão sendo substituídos pela automação proporcionada pela tecnologia.

Como já dissemos em um vídeo recente, essa é uma realidade irreversível, e não depende da nossa vontade. Basta fazer uma pergunta: qual o patrão no mundo capitalista que vai querer continuar arcando com despesas trabalhistas se puder contar com as facilidades da tecnologia?

Vai querer uma vaga?

A consequência lógica: desemprego para quem não se adaptar a esse avanço.

Não adianta se você adora dirigir e gosta de vestir seu uniforme para trabalhar como motorista. Um dia o patrão não vai mais precisar de você e vai lhe mandar embora.

Ou se você é taxista e diz que não sabe fazer outra coisa. Muito em breve os carros sem motorista serão uma realidade. E já existe quem esteja prevendo que pode se tornar até proibido dirigir veículos, pois vai ser muito mais perigoso do que os carros com sistema autodirigível. E essa previsão não é nada absurda, sabendo – como sabemos – do número imenso de maus motoristas, verdadeiros barbeiros, e de irresponsáveis que hoje já provocam tantos acidentes de trânsito.

Eu não quero assustar ninguém, mas o cenário de desemprego é realmente assustador. E o pior: já aconteceu em outros períodos da História, como na chamada revolução industrial, que deixou muita gente desempregada.

Robô no lugar do operário

Só que desta vez os impactos serão ainda maiores, porque a tecnologia está avançando em praticamente todos os setores. Em alguns países, robôs já estão sendo utilizados para construir uma parede de tijolos, de forma mais rápida e com maior perfeição. Antigamente se dizia que a função da máquina era substituir o homem. Agora já é possível dizer que a função da tecnologia é substituir o homem.

E qual é a saída? Bom, não tem outra. A menos que você seja um ricaço que não precise nem trabalhar e que necessite apenas contratar pessoas para a sua empresa. E que, em vez de pessoas, vai passar a contar com robôs.

Exatamente. Você já deve ter percebido que a saída na verdade não é apenas uma, mas sim duas: ou você passa a ser um desses patrões, o que é mais difícil, pois exige muito dinheiro, ou se adapta às novas tecnologias.

Patrão ou empreendedor

E como fazer isso? Uma das formas de passar a ser patrão sem precisar de grandes somas de dinheiro é passar a ser patrão de si mesmo, tornando-se um empreendedor digital. E a outra forma é ver como adaptar a sua atual profissão ou atividade a esse avanço tecnológico.

Então, se você é desses que diz que não gosta de trabalhar na frente de um computador e odeia tecnologia, você não tem como escapar: ou vai ficar desempregado, ou vai ter que passar a gostar.

Porque a tecnologia não vai deixar de avançar só porque você não gosta ou não quer.

Você vai ter que se adaptar

Pense no seguinte: se você gosta de sua atividade atual, comece a pensar em como adaptá-la à tecnologia.

Por exemplo: se você é vendedor, não precisa largar agora a sua atividade, mas pode começar a vender pela internet, paralelamente. E quando aprender todas as técnicas de vendas online e passar a faturar bastante, tem a opção de tornar isso uma renda complementar, enquanto a venda presencial ainda lhe proporciona bons ganhos. Ou até pedir demissão do seu emprego e tornar as vendas pela internet a sua atividade exclusiva.

Se você gosta de dar aulas, comece a estruturar cursos online.

Se você gosta de jogar tênis, por exemplo, pode começar a ensinar isso pela internet, e vender produtos para quem também gosta desse esporte.

Internet de ponta a ponta

A internet também pode servir como forma de divulgar seu trabalho no caso de profissões que correm, pelo menos em princípio, menos riscos de serem extintas.

Você já reparou o número de médicos que estão abrindo canais no YouTube? Com isso, eles ajudam muitas pessoas e ao mesmo tempo divulgam o seu trabalho, aumentando o número de pacientes em seus consultórios particulares.

E existem também os médicos que até deixaram de clinicar e agora vivem só de internet. É o caso da médica que ensina exercícios para melhorar a visão e até deixou de clinicar.

Ela também é apenas um exemplo, porque profissionais de outras áreas estão fazendo a mesma coisa.

As lojas de varejo também já estão sofrendo esse impacto da internet.

Fim do comércio tradicional

O megainvestidor Warren Buffett tem alertado que o varejo da forma como é conhecido hoje está perto de ser extinto. E por isso mesmo ele não investe mais nesse setor. A previsão é confirmada por um fato real: em recente reportagem, o editor chefe da StarSe, comunidade sobre startups, Felipe Moreno, informa que mais de 3.200 lojas físicas já haviam fechado as portas de janeiro até o final de outubro de 2017 nos Estados Unidos. E que esse número seria ainda maior até o final do ano que passou, significando um recorde ainda maior do que as 6.163 lojas fechadas em 2008, o auge da crise econômica no maior país capitalista do planeta. A loja de departamentos agora é online, alertou o bilionário investidor, baseando-se na realidade das grandes lojas que estão sendo obrigadas a aderir a essa nova tendência.

Ainda assim, existem profissionais que acreditam que nunca suas atividades serão afetadas. É o caso das manicures, das pedicures e das cabeleireiras. Eu não ouso apostar que não haverá robôs que sejam capazes de fazer pés, mãos e cabelos. Mas, ainda que essas profissionais estejam certas, já imaginou se todas as pessoas desempregadas passarem a migrar para essas profissões supostamente livres da influência da tecnologia? Certamente poderão até não amargar o desemprego, mas seguramente terão que enfrentar uma expressiva diminuição de renda, devido à avassaladora concorrência.

Então, repito o alerta: arranje uma forma de se adaptar a essa nova realidade, que é irreversível. E que não vai deixar de ocorrer só porque você não quer ou não gosta.

A propósito, percorra todo o site Sucesso e Fortuna. Aqui você tem muitas formas de conhecer as atividades que lhe permitirão viver nesse mundo moderno e extremamente informatizado.

Aproveite bastante.

About Gerson Menezes

Gerson Menezes é jornalista, escritor e empresário. Possui uma extensa rede de sites e três canais no YouTube. Em sua carreira profissional ministrou aulas como professor universitário durante 10 anos e atualmente se dedica à atividade de empreendedor digital. Em sua atuação em jornais, revistas, assessorias de comunicação, emissoras de rádio, livros publicados, artigos na internet, já produziu mais de 15 mil textos. Parte dessa produção está em seu site pessoal, no endereço http://www.gersonmenezes.com.br (Acesse em PC/notebook. Não acessível em dispositivos móveis por conter abertura em flash). Essa produção permanece em ritmo acelerado, pois há novos textos de sua Autoria sendo continuamente publicados em blogs de artigos e em sua rede de sites, direcionados a vários nichos de mercado. É também proprietário da empresa Texto e Vídeo Produções. Seu mais novo endereço na internet engloba toda a sua rede e abrange os segmentos de Educação, Motivação, Dinheiro, Saúde, Relacionamento, Mulher, Audiovisual e Turismo. Visite: https://www.pegseuebook.com.br

Participe com seu comentário

Importante
Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar navegando neste site, você concorda com o uso de cookies.